1 . Superação começa com uma decisão

Esta experiência foi um desafio pessoal e recentemente venho me desafiando a ter uma vida melhor, experimentar coisas novas, deixar de ser vítima dos problemas e me tornar autora da minha própria história. E foi assim que tudo começou. Disse sim a um chamado e me desafiei. Pensei que seria mais fácil, porque nunca fui muito fã de carne, ou seja, como e aprecio, mas não era um costume diário. Mas, foi só dizer: “não posso comer carne” e meu mundo caiu. ☺

2. É necessário dedicar mais tempo para cuidar da alimentação

Para reconstruir meu mundo, eu conversei com uma amiga nutricionista que me deu ótimas dicas de um mundo novo que eu estava explorando. Eram tantas as opções de legumes, verduras, frutas, temperos, cereais! Enlouqueci e fui às compras. Foram tantas as alternativas deliciosas que queria sair comendo e experimentando tudo o que via pela frente. Mas, claro… foi necessário tirar um tempo para preparar minhas refeições, me organizar e me comprometer com esse novo propósito.

3. Quanto mais informações, mais questões surgem

Mas, eu sabia que não era só parar de comer carne e todos os meus problemas estariam resolvidos. Não se tratava de algo tão simples assim. Eu tinha que estar conectada com minha consciência, buscando um equilíbrio interior. Comecei a ler sobre os benefícios da alimentação sem carne, sobre o que significa ser vegetariano… Juro que quase enlouqueci com tanta informação. Questionei meus hábitos, meus comportamentos, questionei a sociedade, acho que fiquei com raiva até do ar que respiro. Depois passou, porque não valia a pena ser uma chata né?

4. É preciso saber lidar com preconceito

Percebi que carne era mais que um alimento, se tornou algo cultural. E aí tive que lidar com uma sociedade que faz piadinhas se você não come carne, que questiona seus ideais se você não participa do churrasco ou te dá apelidos como “a moça da salada”. São essas as situações que me trouxeram uma reflexão sobre como estamos vivendo e do que somos realmente feitos. Essa parte foi um pouco triste, mas fica o aprendizado que levo pra vida de que o diferente também tem o seu valor e deve ser respeitado, porque me lembro de muitas vezes em que estive com pessoas vegetarianas e meu único assunto era a dinâmica da sua dieta, quando eu poderia falar do clima, de suas preferências musicais, ou seja, qualquer outra coisa que não fosse “como você sobrevive sem comer carne?”. Gente, sério… Eu evolui ao perceber isso!

5. Eu amo mudar meus hábitos

Os dias se passaram e eu já não sofria mais com a abstinência da carne, mas o cheiro era algo capaz de me hipnotizar. E confesso que foi um super esforço para mudar meus velhos hábitos. E fico feliz em ver que hoje estou muito mais consciente sobre a comida, sobre meu corpo, sobre a vida e sobre o que eu quero pra mim e pro meu futuro. Hoje, na minha casa uma vez por semana está instituído o dia vegetariano, porque é muito bom experimentar coisas novas e quero dividir essa descoberta com os que mais amo. Hoje posso dizer que desconstruí um conceito e construí uma nova ideia! E você, vai ficar aí só olhando? #Vem #SemCarne \0/

 

Comentários

comentários