Depois de duas cirurgias que quase o deixaram sem o movimento das pernas, Marco é maratonista

 

Como você descobriu a corrida?

Durante toda a minha vida sempre gostei de praticar algum tipo de atividade física, mas, sempre voltado aos esportes coletivos. Acabava seguindo e me envolvendo nos esportes que a turma de amigos também praticava. Para entender como tudo isso mudou, temos que voltar um pouco, em 2009. Eu passei por uma cirurgia na coluna e por consequência disso, os médicos me aconselharam a não praticar nenhuma atividade física de impacto. Isso a princípio me deixou meio preocupado, mas aos poucos fui ganhando confiança e percebendo que não precisaria ser tão radical assim. Menos de três meses depois da cirurgia, já estava praticando algumas atividades leves, caminhando e pedalando sem grandes esforços. Em paralelo iniciei um trabalho de fortalecimento muscular em academia trigoa pille – rezept und medikament online | ohnerezeptfreikauf que foi me dando a segurança necessária para voos mais altos. Em 2010 já voltava a jogar futebol com os amigos e pedalava longas distâncias sem nenhum desconforto ou lesão.

Em 2011 me mudei para são Paulo por razões profissionais, onde tive que mudar minha rotina completamente. O futebol já não era possível, pedalar somente aos finais de semana. Para quem sempre praticou atividades físicas, faltava alguma coisa. Foi quando comecei meus primeiros trotes pelo bairro. Correr 2 quilômetros era uma tortura e a recuperação por sua vez, muito lenta. Era quase impossível correr dois dias seguidos. Em alguns momentos, tudo aquilo me parecia insano, o corpo sofria e a cabeça por várias vezes pedia para parar, porém, aos poucos, tudo aquilo foi se tornando prazeroso e o motivação veio da própria vontade de superar meus limites até então desconhecidos.

Corria sozinho pelas ruas de São Paulo e em raras oportunidades corria em parques, mas confesso preferir as ruas, pois faço meus caminhos conforme meu estado de espirito naquele dia. Não tinha amigos que corriam e também não possuía muito conhecimento sobre o assunto e tudo que aprendi foi na prática ou através de pesquisas. Em março de 2012 tomei coragem de participar de uma corrida oficial. Já treinava há mais de um ano e fiz a inscrição para correr 10 quilômetros na Night Run logo de cara. Me apaixonei de vez! Seis meses depois estava me aventurando em uma prova de 10 milhas (16 quilômetros) e logo em seguida encarando uma meia maratona. Em 2015 me tornei um maratonista! E é isso, de lá para cá, nunca mais parei, e não importa onde eu esteja, sempre dedico um tempo aos meus treinos.

Qual é a sensação que você tem ao correr?

Hoje eu entendo que a sensação de correr é diferente para quem está começando e para quem já está em estágios mais avançados. Outro fator importante é o objetivo de cada um. Há os que correm para perder peso, os que buscam a competição e os que simplesmente correm pelo fato de sentirem prazer, e este é o meu caso. Posso dizer que a sensação de quem está começando a correr não é não agradável e tenho certeza que é por essa razão que muitos desistem nos primeiros passos. As dores, o cansaço, o frio, o calor e principalmente a preguiça falam mais alto que alegria, satisfação e prazer proporcionados. Eu costumo dizer para quem está começando que: se correr fosse fácil, qualquer um seria corredor. É necessário realmente muita determinação e disciplina para superar essa etapa.

Eu corro por prazer, não por necessidade ou competição, então a sensação se resume em bem-estar, de liberdade e alegria. As dores e o cansaço continuam existindo, mas o prazer de correr é muito maior que tudo isso. A preguiça também bate em alguns momentos, nem sempre o corpo está afim de se exercitar, mas mesmo assim, procuro não desanimar e corro mesmo assim. E posso garantir que bastarão alguns quilômetros para a preguiça desaparecer.

                                                           

 

Como surgiu a ideia de criar a página Momento Corrida?

Chegou um momento na minha trajetória como corredor, que percebi que tudo aquilo que eu vivenciava, tanto as coisas boas, quando as não tão boas assim, poderiam de alguma forma servir de informação, inspiração e motivação para outras pessoas, que assim como eu, não tinham muito conhecimento sobre o assunto. Comecei a criar algumas publicações tímidas em minha página pessoal no Facebook com frases motivadoras e percebi que muitas pessoas começaram a se identificar com as coisas que eu falava, mas até então nem pensava em ter nada além disso. Foi então que meus filhos, que já trabalhavam com mídias sociais,  me incentivaram a criar uma página para falar especificamente de corrida e tentar alcançar um público interessado nesse tema. Criei a página Momento Corrida que hoje tem mais de 12.000 seguidores. Durante esse pouco mais de um ano de existência, a página ficou marcada por posts exclusivos e séries como: “Meu Momento Corrida”, “Lugares para conhecer correndo” e “Momento Corrida é a minha cara”, onde os fãs corredores enviam suas fotos para serem publicadas em montagens personalizadas. Hoje me dedico ao Momento Corrida com o objetivo claro: Quero algo além das corridas. Quero motivar as pessoas.

O que a corrida mudou na sua vida?

Muitas coisas mudaram na minha vida, a primeira, sem dúvida, é a questão da disciplina e foco. Disciplina para seguir o que foi planejado, disciplina para cumprir horários e quanto a alimentação adequada. Outra mudança: aprender a ter paciência. Assim como foi difícil superar a fase inicial de treinamentos, é natural procurarmos novos desafios, distâncias, percursos, etc. Com isso surgem novas dificuldades e consequentemente os resultados se tornam mais lentos. Por fim, aprendi a conhecer o meu corpo, a minha capacidade e os meus limites. Sei até onde posso ir, sei também que posso ir além desde que faça um planejamento adequado. Os meus limites e a minha capacidade hoje, com certeza, são muito diferentes de quando comecei a correr. Isso é uma evolução natural de quem se dedica e passa a conhecer seu próprio corpo.

Qual a frase que mais te inspirou nesse processo de aprendizado?

Criei muitos “posts” para o Momento Corrida com frases para motivar e inspirar corredores e fica até difícil escolher uma, mas acredito que a frase mais me identifico é: “Eu não tenho jeito de campeão. Mas eu corro e, curiosamente, sempre chego onde eu quero.” E essa: “Você não vai ter resultados diferentes, se fizer sempre a mesma coisa. É preciso desafiar-se um pouco a cada dia, porque o que não te desafia não te faz mudar”

O que você diria como lição a quem posterga começar a se dedicar a corrida?

Começar a correr é difícil, mas quando você começar a correr regularmente, o mais difícil será parar. É preciso ter coragem para começar e muita força de vontade para superar a fase inicial. Mas eu posso lhe garantir que tudo que vier depois disso, vai valer a pena. Experimente correr pela manhã e quando for dormir a noite, me diga se seu dia foi diferente. E para encerrar, cito a frase: “Daqui a alguns anos, você vai olhar para trás e desejar ter começado hoje”

 

Comentários

comentários